Coaching: o cultivo dos talentos

Como desenvolver continuamente as competências profissionais.

Executivos que se preocupam com o alto desempenho e com a sobrevivência no mercado não têm dúvidas de que necessitam desenvolver suas competências continuamente. Nesse caminho, as organizações que pensam no sucessivo crescimento de seus colaboradores, estão buscando formas de tornar esse desenvolvimento metódico, planificado e mensurável. Os motivos são claros: se a organização possui um “jatobá” entre seus funcionários, será mais adequado oferecer a ele o ambiente apropriado para se desenvolver e se tornar a “árvore grandiosa” para a qual foi criado do que tentar encontrar na floresta do mercado outro “jatobá” que se adapte à cultura organizacional e à missão que possui pela frente.

Dentre as formas de desenvolvimento de competências há maneiras diversificadas de se tratar cada necessidade e cada indivíduo. Dentre os formatos mais individualizados estão a terapia, o mentoring e o coaching. Por mais que as expressões possam parecer ter o mesmo significado e cheguem ao mesmo objetivo, há diferenças determinantes nas atividades que definem a abrangência, o tempo e os resultados que se pretendem alcançar.

Terapia

Em geral, uma sessão de terapia psicológica possui o intuito de auxiliar o indivíduo nas decisões, problemas, tendências e comportamentos que envolvem as relações dele com família-trabalho-sociedade, com ele próprio e seus objetivos. Numa sessão de terapia, que é mediada por um psiquiatra ou psicólogo, na maioria das vezes o paciente traz para ser trabalhado o que lhe incomoda no momento, os acontecimentos recentes que fazem parte do seu dia-a-dia e que, de algum forma, interferem na qualidade de vida e nos resultados conseguidos em todos os campos.

Mentoring

O Mentoring  baseia-se, em grande parte, em quem é o mentor, e quem é a pessoa que irá estimular o desenvolvimento do profissional. Essa pessoa normalmente é alguém que está na mesma área que o profissional, trabalhando geralmente na mesma empresa em um cargo superior. O mentor é o espelho no qual o profissional visualiza seu crescimento. É o guru que possui uma carreira que o profissional almeja seguir. O processo de mentoring depende muito da relação entre os dois profissionais. Há os que colocam suas dúvidas numa conversa informal e há os que planejadamente, marcam encontros periódicos, a fim de desenvolver as habilidades e competências do profissional. Como um protetor na organização, o mentor orienta os passos e aconselha as decisões a serem tomadas. Não se exclui deste modelo, todavia, mentores que sejam de outras empresas.

Coaching

O coaching, termo e prática da moda, é o acompanhamento e desenvolvimento periódico de uma determinada competência por um profissional especializado, um consultor externo á organização que possui know-how para ajudá-lo a desenvolver-se. Ao contrário da terapia, o coaching trabalha uma determinada competência – normalmente a que o profissional e seu superior indicam que precisa ser desenvolvida – até conseguir os resultados almejados. Após o trabalho ser desenvolvido com a competência escolhida, passa-se a analisar e desenvolver outra característica ou talento. O diferencial do coaching é o foco de atuação.

A Caliper, utilizando instrumento próprio de avaliação, consegue identificar as competências que o profissional ou coachee (indivíduo que “recebe” o coaching) precisa desenvolver. Juntos, líder e colaborador, definem dentre aquelas competências o que necessita ter maior atenção no momento. Com o coaching, o profissional encontra formas de desenvolver e praticar ações para o contínuo crescimento. Como um treinador de times esportivos, o papel do coach é estimular e corrigir possíveis práticas advindas de uma determinada competência que precisa ser desenvolvida. O coaching é indicado para um trabalho pontual e específico, com planos de conquistas de resultados num curto espaço de tempo.