Saúde organizacional: hora de um check-up


Quando você pensa em saúde organizacional, o que vem à mente?

Engajamento e atitude dos funcionários? Finanças? Colaboração e crescimento positivo?

Talvez a saúde organizacional englobe todos os itens acima – e mais.

Em seu livro “Images of Organization” (em tradução livre: Imagens da Organização), Gareth Morgan descreve oito metáforas para uma organização. Uma das representações que parecem ser mais precisa é que uma organização é um organismo vivo, como um ser humano.

Uma organização é semelhante ao corpo humano na medida em que tem fases de crescimento e quietude, tem momentos de grande saúde e grande cansaço, tem a capacidade de se adaptar a novos ambientes e é focada fortemente na mudança.

Assim como todos desejam viver em um corpo saudável, os colaboradores desejam trabalhar para uma empresa próspera e bem posicionada no mercado. Mas como saber se uma organização é saudável?

Em “Origem das Espécies”, a pesquisa e as observações de Charles Darwin sugerem que não é o mais forte que sobrevive, mas aquele que melhor se adapta. O mesmo se aplica à saúde organizacional. A capacidade de se adaptar e permanecer flexível é crucial.

Do ponto de vista individual, a saúde organizacional diz respeito à capacidade de uma pessoa de se adaptar às mudanças, desenvolver as habilidades necessárias para ter sucesso em novos papéis, mudar a perspectiva e elevar o nível de educação.

Do ponto de vista organizacional, trata-se de se adaptar às novas necessidades e requisitos dos clientes, identificar as mudanças do mercado, permanecer alerta e inovadora, além de engajar-se no futuro. A capacidade de analisar dados, obter insights e usá-los para entregar resultados é crítica para a saúde de uma organização. Usar uma ferramenta de força de trabalho como o Caliper Analytics ajudará sua empresa a fazer exatamente isso.

O conceito de saúde organizacional tem muitas facetas, desde uma boa reflexão até um bom planejamento, passando por um bom estabelecimento de metas e uma boa comunicação. Mas um componente fundamental é o engajamento dos colaboradores. Pessoas que acreditam que seu trabalho importa são mais engajadas; colaboradores engajados são mais focados e energizados; pessoas energizadas são mais produtivas; e empresas com colaboradores produtivos experimentam maior saúde organizacional.

No final das contas, não se trata apenas de pessoas e do valor que elas proporcionam umas às outras, às empresas e ao mundo em geral?

Deixe-nos saber: qual é a sua metáfora para uma organização? Como você define a saúde organizacional?

E para entender como o Caliper Analytics faz parte dessa anamnese e check-up organizacional, fale com nossa equipe de especialistas através do e-mail caliper@caliper.com.br ou o telefone (41) 3075-3400.