Dicas para se tornar mais flexível

  1. Escute com a intenção de entender e não de responder. Desenvolva uma postura mais receptiva para escutar ideias diferentes e identificar oportunidades de crescimento.
  2. Avalie todas as alternativas do grupo e sempre que necessário, questione para melhor entender os benefícios de determinada ideia ou mudança.
  3. Treine o “fazer de outro jeito” mesmo não concordando, apenas para testar novas possibilidades. Você poderá se surpreender com os resultados!
  4. É difícil ser flexível quando não se tem ideia de como se deve contornar uma situação. Ao analisar outros pontos de vista, você amplia seus conhecimentos e aumenta a sua habilidade de determinar quais atitudes tomar para chegar a melhores resultados.
  5. Reconheça que outros possam ter ideias tão valiosas quanto as suas, ou até melhores.
  6. Domine a necessidade de sempre estar no controle e aprenda a aceitar coisas novas como um desafio, ao invés de encará-las como um obstáculo.
  7. Não deixe que seu plano e opiniões criem uma barreira que não possa ser superada.
  8. Algumas vezes é necessário colocar de lado suas opiniões para poder prosseguir em um objetivo comum.
  9. Não seja tão intransigente a ponto de não se mostrar disponível para colaborar. Esteja alerta para os sinais que refletem a falta de vontade em aceitar e mudar.
  10. Não fique tão envolvido em uma situação a ponto de não mudar de ritmo quando necessário.

“O plano que não pode ser mudado não presta”.
– Pubilius Syrus

Flexível – Ser ou não ser, eis a questão!

Nesta época em que as empresas trabalham por projetos e as equipes estão sempre em fase de transição, é ressaltada a importância da flexibilidade dos profissionais, por isso é importante compreender o que é de fato flexibilidade, esse é o primeiro passo para saber se você é ou não flexível.

Ser flexível não significa concordar com tudo o que lhe é dito, ou largar suas tarefas para fazer outras menos importante só porque o chefe pediu. Ser flexível é conseguir entender, negociar e se adaptar às diversas situações, mesmo que não façam parte dos seus interesses.

Flexibilidade pode ser definida como a capacidade do profissional ver uma mudança ou uma nova ideia como uma oportunidade de crescimento e de aprimoramento. Indivíduos flexíveis estão geralmente dispostos a ajustar a sua abordagem de acordo com diferentes condições ou circunstâncias exigidas.

Esses profissionais normalmente conseguem realizar melhores negociações e contribuir para o alcance de metas comuns. Outra característica do profissional flexível é a sua capacidade de analisar novos argumentos e ideias, para então, mesclá-las às suas próprias opiniões.

Não basta aceitar sem compreender as razões da mudança, ser flexível é também questionar, avaliar para poder entender o que está sendo proposto e utilizar dos seus conhecimentos para atingir melhores resultados.

Ao largar tudo para atender às solicitações das pessoas, você não estará sendo flexível e, possivelmente em um futuro próximo, poderá ser visto pelos seus colegas como um “Maria vai com as outras” e jamais será lembrado por suas opiniões e ideias, porque apenas executará ações e repetirá pensamentos de outrem.

Quando o profissional é flexível, ele passa a ter ligações e compromissos com a empresa, com seus valores, crenças, ideais e tantos outros conceitos que fazem parte daquilo que ele é.

As empresas buscam profissionais capazes de rever suas posições, reavaliar antigos conceitos, aperfeiçoar estratégias, harmonizar-se às diversas situações, sejam elas positivas ou negativas, a fim de alcançar a alta performance e melhores resultados, mas sem perder a sua essência!

Afinal, a empresa o contratou por suas habilidades e competências. Cabe ao profissional somar novos conhecimentos, rever outros sem nunca abandonar aquilo que ele faz de melhor.


“Você faz suas escolhas, e suas escolhas fazem você.”
Steve Beckman.