O espaço das mulheres em profissões tipicamente masculinas

mulher negra sentada, usando um notebook.

As mulheres ainda são minoria no mercado de trabalho brasileiro: mesmo representando 52,3% da população em idade ativa, apenas 43,3% integram esse espaço. Menos mulheres trabalhando reflete falhas nas políticas de inclusão e reforça a cultura machista em que vivemos. Muitos ambientes de trabalho ainda são dominados por homens, tornando o local de difícil acesso para mulheres.

O número de mulheres com carteira assinada também é menor do que o dos homens, sendo 71% e 76%, respectivamente. Isso mostra que, mesmo inseridas no mercado, as mulheres ainda são maioria em situações precárias e de informalidade, recebendo, consequentemente, menores salários.

Apesar disso, algumas profissões, antes majoritariamente masculinas, vêm conquistando cada vez mais adeptas. A constatação pode ser feita tanto na academia quanto no mercado de trabalho. Conheça alguns casos:

Aeronáutica

mulher da aeronáutica fazendo continência à bandeira.

O espaço das Forças Armadas sempre foi ocupado por homens, com a presença raríssima de poucas mulheres. A primeira mulher a ingressar no exército brasileiro foi Maria Quitéria de Jesus, em 1823, durante as lutas pela independência. Porém, somente em 1943 as mulheres foram oficialmente autorizadas a participar.  Durante a Segunda Guerra, mais de 140 mulheres foram enviadas aos Estados Unidos nas condições de enfermeiras e especialistas em transporte aéreo.

A Aeronáutica é uma das Forças Armadas com mais mulheres, apesar de que tiveram sua entrada liberada apenas a partir de 1986. Em 2018, eram mais de 11 mil combatentes em todo território nacional. Embora seja grande o contingente feminino, a primeira turma de aviadoras foi criada apenas em 2003.

Engenharia

uma mulher de capacete amarelo e um homem de capacete branco conversando e analisando um projeto.

 A engenharia sempre foi um ambiente predominantemente masculino, começando na academia e chegando aos locais de trabalho. Em alguns ramos, como a engenharia civil, as mulheres conquistaram um pouco mais o seu espaço: em 2015, 30%   dos alunos do curso no país eram mulheres.

De acordo com o CREA, o registro de mulheres na engenharia aumentou 333% até 2014. Mesmo assim, isso equivale a menos de 30% do total de profissionais. Em 2017, por exemplo, foram registrados aproximadamente 15 mil engenheiros e apenas 5.842 engenheiras.

Advocacia

mulher negra lendo. Em destaque, o símbolo da justiça.

As mulheres ainda são minoria no direito, mas esse cenário está passando por mudanças significativas. Segundo estimativa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), até 2020 existirão mais advogadas do que advogados. No ano passado, dados da OAB mostraram que 48% dos profissionais eram mulheres.

A área do direito também é uma das que mais oferece incentivos às profissionais: desde 2016, existe o Plano Nacional de Valorização da Mulher Advogada. O documento estabelece descontos na anuidade para elas e até a isenção total no ano em que se tornam mães.

Mecânica automotiva

mulher em uma oficina mecânica mexendo em um carro.

Apesar das oficinas mecânicas ainda serem redutos quase que exclusivamente masculinos, muitas mulheres estão tomando a iniciativa para mudar esse cenário. A procura feminina por cursos de capacitação nessa área aumentou de 1,2% em 2009 para 7,5% em 2015. Os números ainda são baixos, porém, já podem ser considerados como sinais de mudança.

Quer descobrir novos potenciais e se destacar no mercado de trabalho? Entre em contato conosco e venha desvendar seus talentos: caliper@caliper.com.br | (41) 3075-3400

Os desafios das mulheres na liderança

mulher segurando uma caneca escrito "like a boss". Em português: "como uma chefe".

As mulheres já representam quase 50% do mercado de trabalho mundial, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Entretanto, ainda são poucas mulheres na liderança, principalmente em países emergentes. As mudanças estão surgindo gradativamente. Segundo uma pesquisa da Grant Thornton, no Brasil, apenas 29% das companhias possuem mulheres em algum posto de chefia, ultrapassando a média global de 24%.

Além da baixa representatividade, um estudo publicado pela Harvard Business Review mostra que, quando em posições de liderança, as mulheres tendem a enfrentar desafios que não englobam somente suas capacidades profissionais, mas também questões de personalidade e caráter. A análise revela ainda que, uma vez nessa posição, a mulher precisa lidar com expectativas culturais e comportamentais que a sociedade tem em relação ao comportamento feminino, como ser afetuosa, delicada e demonstrar empatia. As mesmas qualidades não são esperadas de um chefe homem, por exemplo, pois dele, tradicionalmente, se espera apenas força e competência.

Muitas vezes, as expectativas em relação ao comportamento de uma líder não são compatíveis ao cargo ou ao trabalho que realiza, podendo atrapalhar seu desempenho profissional. A grande dificuldade, de acordo com a publicação, é encontrar um meio termo entre a competência profissional e a credibilidade necessária para o posto.

A pesquisa incluiu uma entrevista com 64 mulheres na liderança de 51 países diferentes, a fim de descobrir quais são e como elas lidam com os principais desafios desta posição. Confira alguns pontos discutidos:

Demandar e se importar ao mesmo tempo


As executivas entrevistadas relataram que, ao mesmo tempo em que precisam demandar comportamentos de alta performance da equipe, precisam demonstrar que se importam com os colaboradores. Em alguns casos, líderes que se mostraram mais objetivas e incisivas com a equipe receberam feedbacks negativos. Uma das entrevistadas conta que, ao comandar um projeto muito importante que necessitava de grandes resultados, foi considerada “intimidadora”.


Credibilidade e arrogância


As entrevistas mostram que a linha entre credibilidade e arrogância é extremamente tênue nos casos de líderes mulheres. Para liderar e ganhar credibilidade da equipe, elas tendem a incorporar alguns comportamentos tidos como tipicamente masculinos: falar mais alto, mais objetivamente e de forma mais incisiva. Por outro lado, ao tentar mostrar autoridade, podem ser vistas como arrogantes.


Lidar com o objetivo dos outros


Ao comandar e ser responsável por uma equipe, as mulheres, segundo o estudo, acabam sendo vistas como muito “agressivas” ou “fáceis de manipular”, dependendo do jeito que lidam com a situação. Ao se mostrarem mais objetivas e incisivas, podem passar a impressão de que não se importam com os outros. Porém, caso se importem demais, são vistas como manipuláveis e fáceis de tirar vantagem.
O estudo da Universidade de Harvard sugere alguns meios de contornar as situações, como construir relações de confiança com a equipe e saber separar o profissional do pessoal, exigindo excelência e qualidade no trabalho, e não do colaborador em si. Entretanto, defende que mudanças mais significativas só podem surgir com o tempo e conforme outras gerações integrem o mercado de trabalho. Enquanto isso, líderes e colaboradoras precisam aprender a lidar com a pressão não somente profissional, mas também das expectativas comportamentais dentro do ambiente de trabalho.

Mulheres na liderança

A Caliper tem o orgulho de ser formada, em sua maioria, por mulheres competentes e talentosas. Uma pesquisa realizada pela sede da empresa em Princeton, nos Estados Unidos, mostrou que as mulheres líderes são mais assertivas e persuasivas, tendo uma necessidade mais forte de executar ações, além de estarem mais dispostas a assumir riscos do que os líderes masculinos. Também foram consideradas mais empáticas e flexíveis, bem como mais habilidosas na comunicação interpessoal. O estudo foi realizado com 59 mulheres de grandes empresas nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Apesar das características apresentadas no estudo, as mulheres ainda enfrentam dificuldades para atingir cargos de liderança, principalmente quando estão concorrendo com homens. Alessandra dos Santos Moura, diretora de desenvolvimento organizacional da Caliper Brasil, afirma que a preferência por líderes masculinos ainda é uma realidade no mercado.

“Para chegar em uma posição em que possam concorrer com os homens, as mulheres precisam estar bem melhor qualificadas. Infelizmente, vemos isso no mercado, em processos de seleção e nas consultorias que realizamos, ainda existe muito a preferência pelo homem no mercado. E quando vemos mulheres que se destacam, o que observamos em seus currículos é que elas têm muito mais tempo de sala de aula, de estudo e qualificação para conseguirem se destacar no mercado e serem selecionadas para ocupar uma posição que também está sendo disputada por um homem”, afirma a diretora.

Quer saber como otimizar sua equipe de líderes? Entre em contato conosco: caliper@caliper.com.br | (41) 3075-3400.

Você é um bom líder? Confira 6 habilidades essenciais

habilidades-de-um-bom-líder

Alcançar a posição de líder no ambiente de trabalho é o objetivo central da carreira de muitas pessoas. Geralmente, cargos de liderança representam experiência, conhecimento técnico avançado e capacidade de gestão. Mas afinal, essas três habilidades resumem de fato um bom líder?

A resposta é negativa. Na verdade, elas descrevem melhor um gestor. Um cargo de chefia diz muito pouco sobre a legítima capacidade de liderança de alguém. Afinal, ser chefe não significa ser líder.

A composição das habilidades essenciais para uma liderança de destaque está mais ligada às características psicológicas e comportamentais e à desenvoltura de comunicação. Por se tratarem de características múltiplas, é possível identificar o potencial de liderança em diferentes posições da construção hierárquica das empresas. Líderes nem sempre estão no topo.

Vamos começar pelo básico: um líder deve ser persuasivo e motivador, conquistando confiança e despertando a vontade de colaboração em cada liderado. Dessa forma é possível “liderar pelo exemplo”.

Mas alcançar esta notoriedade não é fácil e demanda aprimoramento constante de algumas características. Por isso, a Caliper traz um insight sobre quais características devem te acompanhar no desenvolvimento das suas habilidades de liderança.

Descubra abaixo as principais características que vão te destacar na empresa como um verdadeiro líder.

  1. Inspire confiança

Fundamental para motivar uma equipe. Característica também importante para ajudar todos os envolvidos a tolerar crises e gerenciar situações difíceis.

Lembre-se: confiança é uma via de mão dupla. Você é o líder e seu time espera que você se comporte como tal. Não confiar em seus liderados é o primeiro passo para falhar como líder.

2. Saiba delegar

Como falamos no primeiro item, confiar em seus liderados é também fundamental. Aproveite o potencial de cada um para a execução das tarefas. Descentralize funções e certifique-se de que existe equilíbrio entre as demandas.

3. Seja curioso

Pessoas curiosas leem nas entrelinhas e interpretam o mundo com diferentes olhares. Aguce a sua curiosidade para tudo. Neste ponto, mostrar curiosidade sobre a vida pessoal dos integrantes da equipe também é uma forma de validar o seu perfil de liderança.

“Faça bom proveito da genuína curiosidade e seus funcionários se sentirão vistos por você”, Indira Jerez, coach e colunista da Forbes.

4. Desperte segurança emocional

As pessoas precisam se sentir confortáveis emocionalmente para entregar o seu melhor.

Um líder precisa agir de forma autêntica e verdadeira, convocando seus liderados a também trazerem suas subjetividades em benefício da empresa. Para atingir melhores resultados com a sua equipe, demonstre abertura, disposição para ouvir e tolerância às imperfeições.

5. Ouça a todos com atenção

Para liderar com maestria é preciso estar atento às sensações da sua equipe e de todos os integrantes da empresa. Como seus liderados estão avaliando os processos? Como a sua equipe é vista pelos demais departamentos? Abra espaço para que te digam suas impressões em relação ao trabalho e à vida pessoal. Um bom ouvinte capta mais informações do que um orador incansável.

6. Alto nível de adaptação

Um bom líder é altamente adaptável. Essa habilidade representa um diferencial único em níveis distintos. Ser adaptável às pessoas garante fácil diálogo com diferentes perfis. Sua equipe é formada por pessoas de culturas, experiências, formações e gostos distintos.

Ser altamente adaptável também garante sucesso em outras áreas, como: aprender novas habilidades, gerir crises e a trabalhar melhor a criatividade em momentos de pressão.

Profissionais com perfil de liderança são fundamentais dentro das organizações. São pessoas com alta capacidade analítica para identificar novas soluções e para extrair o melhor dos colaboradores.

Caliper: guiando novos líderes

Quer investir no aperfeiçoamento dos líderes da sua equipe? A Caliper garante as melhores estratégias para o desenvolvimento de lideranças.

Com o treinamento Liderança – Action Learning, conduzimos o aperfeiçoamento do potencial de liderança dos participantes, com o objetivo de traçar caminhos para irem além de seus papéis funcionais.

Conheça também o Programa de Identificação de Líderes, uma ferramenta de identificação, atração e retenção de talentos, a partir do Perfil Caliper.  

Entre em contato e otimize sua equipe de líderes com a Caliper: caliper@caliper.com.br | (41) 3075-3400.

Está na hora de escolher uma profissão? Saiba quais estarão em alta em 2019

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, e as empresas procuram por profissionais qualificados que possam se desenvolver dentro de suas áreas, tornando-se não mais apenas chefes, mas sim, futuros líderes. Para este ano, algumas profissões devem ser mais requisitadas que outras: isso não somente pelo contexto político e econômico do país, mas também por demandas geracionais específicas. Confira quais são:

Profissional de Recursos Humanos

Com o aquecimento previsto para a economia em 2019, as empresas tendem a contratar mais funcionários, inclusive aqueles especializados em contratação. O profissional de RH será requisitado pela habilidade comunicativa e social que estabelece com as pessoas. Nos próximos anos, o foco será na procura, formação e treinamento de novos líderes.

Engenheiro ambiental

O crescimento e a difusão do conceito de sustentabilidade no mundo fazem com que os engenheiros ambientais sejam rapidamente absorvidos pelo mercado. No Brasil, o segmento de energias sustentáveis cresce cada vez mais e promete ganhar ainda mais espaço nos próximos anos, abrindo vagas para os profissionais do ramo. No fim de 2017, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a captação de US$ 141,7 milhões junto ao banco alemão Krefitanstalt für Wiederaufbau (KfW). O montante será destinado a investimentos que envolvem eficiência energética e energias renováveis.

Engenheiro de vendas técnicas

Vender e formar novas parcerias é a tendência para empresas e indústrias em 2019. Com a recuperação da crise que tomou conta do país nos últimos anos, o profissional engenheiro especializado em vendas é fundamental para o reaquecimento dos negócios. Buscando atrair novos consumidores e fidelizar antigos, as empresas estão reinventando a função do engenheiro dentro da área de vendas. Esse profissional acaba sendo procurado pela boa relação com números e prazos.

Especialista em SEO

Dentro do ramo do marketing e publicidade, o SEO é uma das ferramentas mais importantes quando se trata do mundo digital. Trata-se de um conjunto de técnicas que favorece um conteúdo específico postado na internet, fazendo com que ele tenha vantagem sobre os concorrentes, principalmente em sites de busca, de maneira orgânica, ou seja, gratuita. Para os próximos anos, o especialista em SEO ganha espaço dentro de agências de marketing e publicidade digital pela habilidade em produzir conteúdo de maior alcance e, assim, conquistar mais clientes para uma marca.

Especialista em Business Intelligence (BI)

Focado em métricas e análise de dados, o profissional especializado em BI é responsável por metrificar dados e extrair diversos tipos de informação relevantes para o cliente. Na publicidade, por exemplo, esse especialista decodifica características de comportamento por meio de dados oferecidos pelas redes sociais. Em 2019, o Business Intelligence ganha espaço em empresas que necessitam de colaboradores especializados em interpretação de dados e números.

Designer de games

A crise pareceu não afetar o mercado de games no Brasil. Os negócios nessa área movimentaram em torno de US$ 1,3 bilhão em 2017, colocando o país em 13º no ranking global e em primeiro entre os países latino-americanos no setor de jogos digitais. Com o constante crescimento desse mercado, os designers de games têm espaço garantido nos próximos anos.


Se você quer desenvolver sua carreira em 2019, conte o serviço de coaching da Caliper e esteja preparado para o mercado. Para saber mais, envie um e-mail para caliper@caliper.com.br

Bem-vindos ao Blog Caliper

Prezados Clientes, Parceiros, Amigos e todos ligados à rede digital!

Com grande satisfação e entusiasmo inauguro esse novo canal de comunicação entre a Caliper e vocês!

Após oito anos de publicação da nossa Newsletter, temos a certeza que geramos atualizações de conceitos e divulgamos novos projetos que certamente despertaram reflexões criativas em nossos leitores para as demandas em suas empresas. Com o objetivo de promover um maior intercâmbio de ideias entre nossos consultores e o mercado, optamos pelo Blog e de agora em diante, a partir das matérias aqui postadas, nossos leitores poderão também contribuir, complementar conceitos, sugerir e também divulgar notícias ou conteúdos que possam colaborar para a identificação e desenvolvimento de talentos no universo corporativo.

Aproveitando a onda de mudanças, também apresentamos o novo direcionamento estratégico de nossas atividades, concentrando nossas áreas de atuação na Identificação de Talentos e no Desenvolvimento de Talentos. Estamos assim usando todo nosso know-how de mais de meio século para apoiá-los a identificar e desenvolver não só, mas principalmente, líderes e profissionais de vendas, entre aqueles que já atuam nas suas empresas, e também na seleção das pessoas certas para obter os resultados almejados pelos acionistas!

Para complementar essa fase de novidades, foi criada uma nova identidade visual com a missão de transmitir nossos valores de renovação, criatividade e “pensar fora da caixa”.

Finalmente pretendemos brindá-los em breve com a disponibilização de novos relatórios, os quais apresentarão os resultados das avaliações de potencial por meio do Perfil Caliper de uma forma inovadora e a um preço muito competitivo!

É um período de novidades em que todos nós da Caliper estamos muito entusiasmados com as mudanças que vamos proporcionar. Obrigado por permitirem estarmos presentes em suas empresas ao longo desses últimos 15 anos no Brasil, contribuindo com a formação de equipes extraordinárias, responsáveis por altas performances organizacionais!

Fiquem agora com alguns trechos do nosso livro “O Sucesso Tem Fórmula?”, os quais estamos certos propiciarão uma importante reflexão sobre a construção do caminho para o seu sucesso pessoal:

O Sucesso Tem Fórmula?
Por Herb Greenberg e Patrick Sweeney

“Nossa premissa sempre tem sido de que o potencial e a motivação do indivíduo fazem toda a diferença.”

“As pessoas são bem-sucedidas quando utilizam seus pontos fortes e quando se asseguram que as suas limitações não as fazem tropeçar.”

“Em última análise, aprendemos que todos nós alcançamos o sucesso quando tiramos o melhor proveito de nossas melhores qualidades e, dessa forma, nosso potencial pode ser concretizado.”

“Ao longo dos anos descobrimos que quando o talento é essencialmente igual, a diferença entre os superastros e os assalariados é a fome, o desejo, a determinação de vencer do seu jeito.”

“Imagine a vantagem que você terá se entender as qualidades que o motivam. Presumimos que as pessoas sejam uma combinação única de várias qualidades distintas. Mas se você começar identificando aquela que é a sua qualidade dominante, propulsora e decisiva, imagine em que posição vantajosa estará!”

“Sucesso tem menos a ver com o que você tem e mais em saber quem você é.”

“Os indivíduos que alcançaram o sucesso por meio do autoconhecimento tendem a se concentrar em suas forças interiores.”

“Os indivíduos que venceram porque conheciam o mundo à sua volta tinham a capacidade natural de identificar as oportunidades que surgiam em seu caminho.”

“Nossos momentos decisivos podem vir das mais diferentes direções: de acidentes, de reviravoltas malucas do destino, de artigos do jornal, de saber que somos capazes de fazer algo mais importante.

Alguns são interceptados por um momento decisivo. Podemos então vê-lo e aceitá-lo ou perder completamente a oportunidade.

Alguns têm senso de oportunidade, outros criam-na.

No final das contas, o que importa é nossa atitude: podemos prestar atenção e aproveitar o momento ou desviar os olhos e fingir que estamos ocupados demais com o que quer que seja que vem preenchendo nossos dias. No final a escolha é sua.”

“O que você gostaria de deixar como lição de vida para seus filhos?”

“As pessoas que venceram na vida, que tiveram suas histórias contadas nesse livro, têm a sua própria definição de sucesso, qualidades distintas e um momento decisivo que contribuíram para vitória. Além disso, todos se concentram em seus pontos fortes, têm um aguçado autoconhecimento, estão dispostos a correr riscos e amam o que fazem.”


José Geraldo Recchia é Diretor Presidente da Caliper Brasil.