A importância da avaliação de desempenho para as organizações

A avaliação de desempenho é um processo que analisa a atuação de um profissional de acordo com sua área de atuação, resultados atingidos e esperados, potenciais e relação com colegas de trabalho, incluindo as percepções de seus pares, superiores, clientes (internos ou externos) e subordinados, além da própria autoavaliação.

A avaliação fornece à empresa uma visão geral do colaborador avaliado: como ele é visto pelos outros em termos de personalidade, comportamento, pontos fortes e fraquezas. Para isso, a análise é baseada em percepções sobre o presente e o passado do funcionário.

José Geraldo Recchia, psicólogo e sócio da Caliper Brasil, afirma que, atualmente, esse processo de avaliação de desempenho vem sendo usado pelas melhores empresas do mundo, a fim de encontrar maneiras e estratégias eficientes de investir no  desenvolvimento humano: “A palavra ‘avaliação’ muitas vezes é associada a um significado negativo, de desconfiança e preocupação, principalmente dentro de corporações. Mas, na verdade, ela é fundamental para perceber as áreas e os colaboradores que estão necessitando de mais atenção e mais investimento. Muitas vezes, a avaliação pode resultar em um treinamento ou mesmo em uma promoção”, explica Recchia.

Benefícios da Avaliação de Desempenho Caliper

  • Proporciona ao avaliado maior autoconhecimento, além de um “mapa” que mostra como se tornar mais eficiente;
  • Fornece uma visão global dos pontos fortes e das oportunidades de desenvolvimento;
  • Auxilia no desenvolvimento profissional, ajudando o avaliado a atingir metas corporativas e pessoais;
  • Permite a elaboração de treinamentos personalizados, pensados para necessidades específicas;
  • Se for realizada periodicamente, a avaliação é capaz de medir o progresso de um colaborador.

Quer saber mais sobre a avaliação de desempenho? Entre em contato com a nossa equipe e solicite um orçamento.

Qual sua impressão sobre a Avaliação de Desempenho?

A primeira coisa que um profissional ou uma equipe pensa quando a empresa diz que aplicará a Avaliação de Desempenho é sobre os pontos negativos que isso pode gerar. Afinal, ninguém, por mais profissional que seja dentro da organização, gosta de ser avaliado por outras pessoas.

Ser avaliado, de um ponto de vista primário, significa ser apontado, mirado, atingido por críticas. Entretanto, após esse primeiro sentimento desconfortável diante da Avaliação 360º, é possível perceber que as críticas, por mais negativas que pareçam, podem gerar consequências muito positivas. Portanto, é preciso não ter medo de receber feedbacks, nem de oferecê-los, de modo verdadeiro e justo, é claro.

Numa Avaliação 360º, os profissionais envolvidos podem ser analisados em determinadas competências por seu(s) superior(es), pares, subordinados e, até mesmo, clientes. Saber a opinião dessas pessoas a respeito de um profissional é, para ele mesmo, engrandecedor, pois pode, a partir disso, obter conhecimento dos resultados positivos produzidos pelas atitudes que aplica em seu trabalho, assim como visualizar as consequências geradas por seus erros ou descuidos, erros que talvez não tenham sido constatados anteriormente, mas que são verificados por meio da avaliação.

Os resultados obtidos para a empresa, nesse caso, são muito importantes para que se perceba como a equipe se avalia, se enxerga e quais os principais problemas que considera em si mesma. Os problemas, apontados pelo próprio grupo, devem ser alvo de resoluções também aplicadas por ele, contando com o apoio e o engajamento de todos, ou seja, mais uma tarefa em conjunto.

Com um diagnóstico comportamental bem elaborado, por meio da Avaliação de Desempenho, a empresa tem o poder de colocar em prática ações efetivas de melhoria focadas em sua equipe. Essas ações, certamente, gerarão resultados concretos, ao contrário do que pode acontecer caso o investimento seja feito sem qualquer embasamento estatístico e fiel baseado na autoimagem da equipe, exatamente o que a Avaliação 360º pode proporcionar.

Quando bem realizada, a partir de um trabalho qualificado e sério de gestão humana empresarial, a Avaliação de Desempenho passa de uma primeira impressão negativa para uma atividade com altos níveis de conscientização profissional. Desse modo, quando aplicada com êxito, é sinônimo de resultados a médio e longo prazos trilhando um caminho específico e correto de desenvolvimento.

Afinal, que profissional não quer se aperfeiçoar constantemente?

A importância da Avaliação de Desempenho

Toda e qualquer empresa, por mais bem-sucedida que seja, sempre possui o desejo de melhorar, produzir mais e com maior qualidade, obter resultados mais satisfatórios e, como consequência, apresentar lucro ainda mais significativo. Porém, nada disso é possível sem o auxílio de seus principais recursos: os colaboradores.

Portanto, para melhorar sua performance, uma empresa precisa que seus profissionais também atuem com maior afinco e motivação, utilizando muito mais de seu potencial, ou seja, das habilidades que possuem aplicadas em sua atividade profissional.

Em algumas organizações é fácil perceber quando um profissional estagnou e não evolui mais, seja por desmotivação ou falta de estímulo por si mesmo e até da empresa. Aí, fica mais simples saber o momento em que a empresa precisa agir para desenvolvê-lo. Mas, há organizações que, por melhores profissionais que possuam, precisam extrair ainda mais de suas capacidades para que através delas mostrem resultados ainda mais surpreendentes, afim de que a empresa também cresça constantemente.

Nesses momentos, não há ferramenta mais importante que a Avaliação de Desempenho, capaz de mostrar, primeiramente, toda a capacidade de um profissional por meio de uma avaliação de seu potencial e, posteriormente, através da avaliação de sua atual performance, mostra até onde ele pode chegar através de suas aptidões profissionais e o quanto ele precisa evoluir para alcançar o máximo de sua capacidade.

Todo profissional pode melhorar, basta mostrar-se disposto a isso. Mas, para que isto aconteça a empresa deve apresentar, também, uma política de incentivo ao desenvolvimento. Por meio da boa liderança sempre é possível auxiliar o profissional a conscientizar-se de que sua capacidade vai além do trabalho que ele apresenta na atualidade, mostrando que ele possui um potencial alto nível.

Com um trabalho bem elaborado de visualização da importância de desenvolver-se e, assim, levar maior resultado à empresa, é sempre possível que os profissionais de uma organização aceitem participar positivamente da Avaliação de Desempenho. Porém, esse trabalho deve ser feito com muita sensibilidade e cuidado, pois por meio dessa ferramenta, não apenas o próprio profissional tem a função de se auto-avaliar, mas também precisa mostrar-se aberto a receber a opinião de seu líder, pares e subordinados a respeito de sua atuação e demonstrar receptividade às críticas de uma forma positiva e com o foco em seu próprio crescimento profissional.

Esse processo é riquíssimo, uma vez que a empresa terá em mãos a avaliação do potencial de cada um de seus colaboradores, a avaliação de seu desempenho atual, de acordo com a visão de outros profissionais que o cercam, e, principalmente, a comparação entre uma e outra, podendo verificar em que estágio de desenvolvimento está cada um de seus colaboradores e até onde eles ainda podem chegar.

Mais ainda que isso, a organização terá em mãos um valiosíssimo instrumento para a identificação dos melhores treinamentos e/ou programas que irão auxiliar seus colaboradores a crescer e evoluir em seus resultados para a empresa.

Portanto, se sua empresa precisa de um “empurrãozinho” para crescer ainda mais, comece conhecendo o desempenho atual e futuro de seus colaboradores e estimulando-os constantemente ao desenvolvimento profissional. Os profissionais ganham muito com isso e a empresa ainda mais!

A empresa vai aplicar o Feedback 360º. E agora?

Imagine uma empresa em ascensão no mercado cujos lucros estejam aumentando consideravelmente mês a mês. Todos os funcionários estão satisfeitos, os diretores e demais líderes da empresa também e refletem isso dentro do ambiente de trabalho. Todos demonstram estar muito felizes com o atual cenário e tranquilos porque acreditam estar desempenhando ótimo trabalho, pois este gera resultados.

Tudo está calmo quando, repentinamente, num dia qualquer, o Diretor de Recursos Humanos da empresa convoca todos os outros diretores para uma reunião e comunica estar implantando um Programa de Avaliação de Desempenho na organização e que, para isso, será aplicada a todas as lideranças a ferramenta de Feedback 360º, que considera as opiniões e visões de todos os que trabalham diretamente com eles.

Pronto, o circo está armado! A primeira pergunta que todos fazem internamente é: por que é preciso fazer uma avaliação a essa altura do campeonato, uma vez que os resultados da empresa já demonstram o bom desempenho de todos? O burburinho que não havia no ambiente empresarial ganha força. Os profissionais acreditam e podem apostar que perderão o emprego e tudo se torna motivo de desconfiança. As equipes lideradas pelos futuros avaliados não são mais as mesmas, vivem sob tensão porque pensam que os próximos serão eles. Os líderes temem pelas opiniões dos colaboradores, dos pares, dos clientes e até por uma possível retaliação decorrente de decisões do passado. Enfim… a empresa começa a desmoronar e os resultados positivos, em meio ao caos, começam a despencar no mercado. O medo definitivamente se instalou na empresa!

Enfim, será que o problema estaria na Avaliação de Desempenho? Será que esta seria uma ação negativa para qualquer empresa? Para as duas perguntas, com toda certeza, a resposta é não. Há vários pontos a serem considerados no exemplo citado para que a ideia de uma possível avaliação desse tipo fosse interpretada negativamente por seus colaboradores.

A primeira observação a ser feita sobre os acontecimentos narrados é a falta de tato na comunicação da empresa sobre a Avaliação de Desempenho. A primeira coisa que uma organização deve criar para implantar uma avaliação desse tipo é um clima positivo em relação a ela, gerando preparo e cultura de todos os colaboradores para absorverem os benefícios deste processo. Toda empresa deve considerar a ação conveniente e muito proveitosa e, principalmente, transmitir isso a seus funcionários, mostrando que o Feedback 360º é uma poderosa ferramenta para sua própria autodescoberta e autodesenvolvimento.

É preciso mostrar como funciona a Avaliação de Desempenho. Existem no mercado várias modalidades desta ferramenta, a mais positiva é aquela que avalia o potencial do profissional, além de sua performance na visão de outros profissionais que atuam com ele. Conhecendo o potencial de seu profissional, a organização consegue visualizar tudo o que ele pode alcançar em sua atuação e ao obter a opinião de outras pessoas, consegue enxergar onde ele está em relação ao que pode alcançar, ou seja, visualiza sua atual performance. De posse das duas informações, a organização consegue saber o quanto seus profissionais ainda devem se desenvolver para chegarem a atingir o ápice de toda sua potencialidade e consegue identificar as melhores ações de desenvolvimento para promover isso. Ou seja, não há nada negativo para a empresa nem para seus colaboradores em realizar uma Avaliação de Desempenho. Pelo contrário, configura-se como uma oportunidade de crescimento do profissional e da empresa. Afinal, que colaborador não quer crescer profissionalmente e, ainda mais, com o apoio da empresa onde trabalha?

Muitos colaboradores questionariam: de que forma uma empresa, que está em excelente fase, acredita que essa avaliação pode ajudar ainda mais? Claro, estar crescendo é um ótimo indicador de que as estratégias estão dando certo hoje, mas não garante que elas serão produtivas no futuro. E mais: colaboradores que demonstram alta performance é algo extremamente positivo para as empresas, mas se descobrem que podem alcançar desempenho ainda maior, isto se torna um fator poderoso para eles mesmos e para a organização.

Com a Avaliação de Desempenho a empresa pode preparar-se para o futuro. É como se ela estivesse plantando uma semente de desenvolvimento hoje para colher os frutos dos resultados mais tarde, quando estará preparada para os novos desafios do mercado. Entretanto, é bom reforçar que para a implantação do 360 nas empresas, há que se ter maturidade os profissionais devem estar abertos a esse tipo de feedback. Mas se a empresa nunca realizou a Avaliação de Desempenho e não tem cultura de promover feedbacks, talvez o ideal seja não começar com a Avaliação de Desempenho, mas escolher outro tipo de ação como a Avaliação de Potencial, que pode ser um bom começo para o desenvolvimento de seus colaboradores.

O importante é investir no desenvolvimento!