Os outros – É tudo culpa deles

Quem nunca se pegou nessa situação? Pela manhã você chega ao escritório, sabendo exatamente o que tem para fazer, pois já programou todo o seu tempo a fim de realizar tudo que é necessário. Quando senta-se e estrala os dedos para por a “mão na massa” o telefone toca. A partir desse momento o ritmo começa a cair. É uma solicitação de um documento que você não encontra, é reclamação de clientes, colegas querendo comentar a cena da novela de ontem e, de repente, já é hora do almoço e sua manhã se foi sem que tivesse resolvido metade do que havia planejado.

Conclusão: mesmo que planeje seu tempo de forma minuciosa, você pode acreditar, outras pessoas irão interferir em seus planos, afinal, ninguém trabalha ou vive sozinho. Por isso, é fundamental administrar o impacto das pessoas sobre o seu tempo e seus objetivos.

Algumas vezes as pessoas podem atrapalhar com sua presença, seja um streaker que passe correndo nu em frente ao seu escritório, ou alguém que insista em manter a campainha do celular no último volume, mesmo estando ao lado do telefone. Enfim você está sujeito a várias influências: suspiros, sons e até mesmo odores que o distraem.

Mas nada toma tanto o nosso tempo do que um dos aspectos prediletos do mundo empresarial: as reuniôes. Essas são quase criaturas vivas, quando estabelecida é difícil se livrar.

O último desafio que “os outros” podem lançar no seu caminho são tarefas inadequadas. Todos já fomos solicitados para realizar uma atividade que levaria “apenas alguns minutos” e que acabou tomando o dia todo. Sem contar nas atividades urgentes, aquelas em que você largou tudo o que tinha para fazer e no fim viu o resultado “mofando” durante dias em cima de uma mesa sem que ninguém lhe desse atenção.

Mesmo pessoas que trabalham por conta própria têm esse problema, “os outros” sempre estarão ali, sejam fiscais, amigos, cônjuges ou clientes que podem exigir parcelas injustas do seu tempo.

Vale a pena pensar um pouco sobre o porquê de as pessoas insistirem em atrapalhar sua rotina. É muito provável que elas não acordem e pensem: – Hoje vou atrapalhar o fulano. Essas pessoas muitas vezes não têm a intenção de incomodar, é bem provável que não saibam que você está ocupado. Mas também como saberiam?

A menos que conheçam as suas prioridades, as pessoas não irão interrompê-lo. Elas, assim como você, seguem as próprias prioridades. Então por que não informá-las sobre sua agenda e tentar negociar um “encaixe” adequado para ambas as partes?

Lembre-se: você não é apenas ator, mas também diretor de sua própria vida. Faça as suas escolhas, defina seus objetivos e prioridades, ou alguém as fará por você e quase sempre de um modo que não lhe agradará.

Finalmente, defina com cuidado seus objetivos. Lembre-se que alguém que trilha o caminho errado chegará rapidamente onde não quer estar.

Este artigo foi baseado no livro de Brian Clegg – Administração do Tempo.