Conheça os diferenciais do Perfil Caliper: muito mais do que um teste de personalidade

Os testes de personalidade são comumente utilizados por empresas na hora da contratação de um novo colaborador, em casos de promoção ou na escolha de um líder. Basicamente, os testes oferecem uma visão geral do perfil comportamental e profissional do indivíduo, apontando habilidades e pontos a serem desenvolvidos. Porém, a maioria acaba deixando de lado algumas características importantes, como compatibilidade com uma vaga específica, capacidade de autogestão, além de fornecerem um feedback sem profundidade.

O Perfil Caliper é muito mais do que um teste de personalidade: é uma análise profunda do perfil comportamental e profissional do candidato, permitindo o job-matching entre o avaliado e a vaga desejada.  São analisados 22 traços de personalidade (como persuasão, empatia, assertividade, extroversão, sociabilidade, resiliência, precisão, flexibilidade e senso de urgência), além de capacidade analítica e 49 competências agrupadas em sete Dimensões: Liderança, Comunicação Ativa, Dinâmicas Interpessoais, Processo Decisório, Resolução de Problemas, Gerenciamento de Processos e Autogestão.

Um dos maiores diferenciais do Perfil Caliper é o Feedback Caliper. Realizado por consultores especialistas, pode ser realizado por telefone ou Skype, permitindo teleconferências com vários profissionais da empresa cliente ao mesmo tempo. Esse retorno pode ser direcionado ao gestor, profissional de RH, ao tomador de decisão quanto à contratação/promoção, ou ainda, ao próprio avaliado, apontando competências e pontos de desenvolvimento. O Feedback especializado garante a interpretação correta dos dados, além de sugestões da equipe Caliper sobre o desenvolvimento profissional do avaliado.

Como contratar corretamente: um guia para selecionar e reter candidatos

A Caliper Estratégias Humanas está no mercado de soluções de gestão de talentos há mais de 50 anos, em mais de 50 países. Durante essa trajetória, desenvolvemos a expertise para realizar boas contratações e, principalmente, reter os talentos dentro das empresas.

Uma contração assertiva tem impacto positivo sobre a produtividade e a eficiência da organização, sem falar na economia com gastos em contratação, desligamento e oportunidades perdidas.

Pensando nisso, preparamos um e-book exclusivo para você aprender a reduzir a rotatividade de colaboradores e melhorar a qualidade da equipe com uma contratação assertiva.

No e-book “Como contratar corretamente”, você encontrará:

  • Dicas para evitar os erros mais comuns na hora da contratação;
  • Como a sua empresa é afetada por uma contratação errada;
  • Técnicas para selecionar os melhores candidatos;
  • Dicas de como reter talentos;

Clique no banner abaixo e aproveite a leitura!

Desenvolva sua equipe com o treinamento de vendas da Caliper

Treinamento-de-vendas-Caliper-abril2019

O setor de vendas é o coração de toda empresa, afinal, é por meio dessa equipe que sua marca e seus produtos se tornam conhecidos pelo mercado. A importância do trabalho em conjunto nesse setor é imensa, já que os profissionais dependem um dos outros para alcançar metas estabelecidas pela empresa.

Com o objetivo de aprimorar o desempenho de equipes comerciais, o treinamento de vendas da Caliper auxilia no desenvolvimento de cada profissional, de acordo com suas habilidades em potencial.

Como é o treinamento de vendas da Caliper?

Brunna de Campos Veiga, Gerente de Desenvolvimento Organizacional, explica que o treinamento de vendas da Caliper é realizado em três etapas: análise, diagnóstico e implantação. “No primeiro passo, os membros da equipe são avaliados individualmente pelo Perfil Caliper, que resulta em uma análise profunda de aspectos da personalidade e do comportamento”, exemplifica.

No diagnóstico, os resultados do Perfil Caliper servem de base para a identificação de problemas dos colaboradores, tanto de forma individual quanto em equipe. Toda a etapa final de implantação é voltada à resolução de problemas e ao aumento da produtividade, de acordo com as fraquezas identificadas no Perfil Caliper.  

As turmas podem ter de 8 a 25 pessoas, e o treinamento tem duração total de oito horas. Durante as aulas, são realizados exercícios e dinâmicas que incluem desde a preparação da abordagem do cliente, até a finalização da compra e fidelização do consumidor.

Benefícios do treinamento de vendas:

  • Análise do potencial da equipe
  • Elaboração de planos de desenvolvimento da equipe sólidos e fundamentados em dados
  • Integração dos colaboradores e gestores
  • Capacitação da equipe e da empresa

Para realizar o treinamento de vendas da Caliper em sua empresa, entre em contato com nossos consultores.

Contratar errado pode custar mais de R$ 100 mil. Entenda!

A Caliper Estratégias Humanas está no mercado global de soluções de gestão de talentos há quase seis décadas. Em toda essa trajetória, identificamos um problema que persiste nas organizações: contratar uma equipe de vendas de alta performance. Por isso, lidar com um vendedor que não atende às expectativas da organização é tarefa cotidiana na atuação de gestores de Recursos Humanos.

Além do desgaste de ter que voltar ao mercado e iniciar do zero todo o processo de seleção, existe um outro fator que pesa sobre o risco de uma má contratação: o custo de oportunidade perdida.

Aliamos expertise e ciência para mostrar para você todos os detalhes de como calcular o custo de oportunidade perdida da contratação equivocada de um vendedor.

Acredite, o valor ultrapassa os R$ 100 mil reais. Quer saber o que considerar ao calcular o custo de oportunidade perdida e, principalmente, como contratar de forma assertiva?

A Caliper preparou um conteúdo exclusivo para você.

Clique no banner abaixo e entenda, de uma vez por todas, a importância de uma avaliação estratégica de pessoas.

5 comportamentos que podem arruinar sua carreira

5ComportamentosQuePodemArruinarSuaCarreira-Caliper-Abril19

Dominar os conhecimentos teóricos e técnicos é extremamente importante em uma profissão, mas nem sempre é suficiente para ter uma carreira de sucesso. Determinados comportamentos e atitudes podem arruinar a reputação de um colaborador e até mesmo leva-lo à demissão.

Confira abaixo 5 traços negativos de personalidade que podem afetar profundamente a sua carreira profissional:

Arrogância

A arrogância é um dos maiores obstáculos na carreira de um profissional. Além de prejudicar o trabalho em grupo, esse comportamento afasta as pessoas e faz com que o conhecimento não seja partilhado. Para ser um bom profissional, é preciso ter humildade, saber ouvir e admitir erros.

Falta de educação

Não importa o seu cargo, quanto você ganha ou quais são as suas atribuições na empresa. Não existem justificativas para ser mal-educado com as pessoas que trabalham no mesmo ambiente que você, sejam elas da mesma área ou não. Tratar as pessoas com respeito é o mínimo que se espera de um bom profissional.

Intrigas

Fazer intrigas e espalhar informações falsas é uma das piores atitudes que se pode ter no trabalho. Esse tipo de comportamento separa a equipe, além de deixar o ambiente pesado e desagradável, e tira a credibilidade da pessoa que começou os boatos.

Pessimismo

Enxergar apenas o lado negativo dos acontecimentos e reclamar constantemente, além de ser incômodo, faz com que toda a equipe fique desanimada. Essa atitude marca o funcionário como indesejado e mostra ao chefe que talvez ele não esteja mais feliz em sua função, podendo ser dispensado.

Fazer o mínimo

Apenas executar as tarefas, não se importando com o que acontece ao redor, não é uma atitude apreciada pelos gestores. Ao se manter à procura de oportunidades e insights, você demonstra que está interessado e que gostaria de prosperar junto à empresa.

Quer conhecer melhor o seu perfil e planejar o desenvolvimento da sua carreira?
Entre em contato conosco: caliper@caliper.com.br | (41) 3075-3400.

Duvidas-na-hora-de-contratar-Caliper-Abril2019

Dúvidas na hora de contratar? Conheça o Perfil Comportamental da Caliper

Contratar um novo colaborador ou promover mudanças de funções é um momento decisivo para qualquer empresa. Escolher um candidato somente pelas habilidades descritas no currículo, não levando em conta seu perfil comportamental, pode resultar em danos significativos, desde problemas de relacionamento com outros colaboradores até perdas financeiras, dependendo do cargo ocupado.

Pensando nisso, a Caliper desenvolveu o Perfil Caliper, um sistema de análise comportamental que possibilita uma avaliação profunda de personalidade e permite o job-matching de um profissional com determinado cargo. Ou seja, o Perfil Caliper avalia se a personalidade do colaborador é compatível ao posto o qual deseja ocupar.

José Geraldo Recchia, psicólogo e Diretor Presidente da Caliper Brasil, explica que o perfil comportamental da Caliper existe há mais de meio século e mede 22 traços de personalidade, entre eles persuasão, empatia, assertividade, sociabilidade, resiliência e precisão. “Esses traços correlacionados permitem identificar 7 dimensões de competências profissionais: liderança, comunicação ativa, dinâmicas interpessoais, processo decisório, resolução de problemas, gerenciamento de processos e autogestão, que por sua vez agrupam 49 competências e 245 comportamentos observáveis no exercício das atividades diárias no trabalho”, diz.

A importância do perfil comportamental na contratação

O Perfil Caliper fornece informações claras e objetivas sobre os pontos fortes de um candidato, bem como limitações, motivações e habilidades mais notáveis. Por meio dessa análise, é possível identificar se um candidato é mais perfeccionista, mais sociável ou até mais analítico que outro.

Essas características são fundamentais na hora da decisão de contratação, principalmente se a vaga tem mais de um candidato em potencial. A equipe da Caliper conta com um time de especialistas que trabalha em parceria com a empresa cliente, a fim de entender melhor as especificidades da função em aberto.

Sabendo das atribuições, responsabilidades e desafios existentes, a equipe pode analisar cada perfil comportamental de maneira mais adequada aos requisitos da vaga, fornecendo recomendações detalhadas para o desenvolvimento e aumento da produtividade do colaborador.  

Se você deseja aplicar o Perfil Caliper na sua empresa, entre em contato com a nossa equipe.

PerfilProfissional-Caliper-abril2019

Conheça os estilos de perfis que existem na sua empresa

Uma das grandes dificuldades da gestão de pessoas e equipes é saber identificar os diferentes estilos de perfis que existem dentro de um mesmo ambiente. Sem levar em conta a formação, experiências passadas e habilidades, mas considerando a personalidade das pessoas, podemos ter quatro principais estilos dentro das equipes: campeões, criadores, facilitadores e implementadores.

As tendências de personalidade mais naturais a cada estilo podem determinar como um indivíduo irá reagir em situações profissionais. Conhecer os perfis dos colaboradores ajuda na composição de uma equipe com talentos complementares, além de também poder ajudar na hora de decidir por uma contratação ou promoção de cargo, afinal, cada perfil tende a ser mais habilidoso em uma área específica.

Os Quatro Estilos de Perfis:

Criadores

Os criadores são profissionais motivados pelo desafio intelectual, elaboração de ideias e estratégias. Tendem a apreciar contextualizar situações e problemas, avaliando de forma mais analítica prós e contras de cada cenário. Tendem a demonstrar uma comunicação mais sucinta e focada no processo de criar soluções. São comprometidos com prazos, processos e métodos, porém, tendem a ser centralizadores e podem não gostar de trabalhos que envolvam contatos frequentes com diferentes pessoas, equipes ou que envolvam outras áreas. Por apreciarem situações complexas, tendem a perder o entusiasmo quando o trabalho se torna “fácil demais”.

Principais características: ter prazer criando novos conceitos e abordagens para resolver problemas, pensar estrategicamente e possuir capacidade de planejamento.

Campeões

Os campeões são pessoas que têm facilidade em se comunicar e, por isso, possuem maior poder de persuasão sobre os outros. Tendem a ser mais expansivos e, em geral, apreciam influenciar e estar cercados por pessoas. Constroem e mantêm relacionamentos com certa facilidade e se mostram entusiasmados perante novidades.

Geralmente denotam potencial para posições que demandem desenvolver comunicação e vendas. Porém, devido ao perfil mais criativo e pelo apreço por uma abordagem mais arrojada e ousada ao resolver problemas, podem se entediar mais facilmente com controles, burocracia ou atividades que demandem paciência.

Principais características: ter prazer comunicando ideias, influenciando pessoas e criando novos conceitos e abordagens mais ousadas para resolver problemas.

Facilitadores

O colaborador facilitador geralmente é calmo e amistoso, indicando um perfil mais conciliador e voltado a construir relacionamentos no trabalho. Em geral, trabalham bem em equipe, atuam de forma mais diplomática e evitam confrontar abertamente ideias opostas, mas preferem consensar as opiniões.  Normalmente é uma pessoa de fácil convivência e com uma preocupação pelo “bem comum”. Prefere evitar conflitos e, por isso, age com tranquilidade em prol de um planejamento concreto e detalhado.

O facilitador funciona como um ponto de equilíbrio dentro das equipes e pode ser um bom candidato a mediar conflitos e dar feedbacks. Porém, por apresentar um perfil mais apaziguador e tranquilo, pode enfrentar dificuldade com prazos e senso de urgência, já que, muitas vezes, prefere esperar que alguém com um perfil mais dominante tome as decisões.

Principais características: gosta de ajudar os outros, é bom em manter relacionamentos, prefere rotinas estruturadas, além de ser paciente e descontraído ao mesmo tempo.

Implementadores

Os implementadores são metódicos e detalhistas, por isso, possuem alto potencial para cargos mais técnicos, com rotinas bem definidas e com um alto grau de especialização. Tendem a seguir diretrizes e apresentar resultados com garantia e segurança, porém, podem ter grandes dificuldades em atividades com maior pressão por resultados a curto prazo.

O olhar crítico pode gerar situações de stress quando um trabalho não está sendo feito da maneira que os implementadores acham que deveria ser feito. Isso pode afetar a produtividade da equipe, já que tendem a ter dificuldades em priorizar o que deve ser detalhado.

Os implementadores são fortes candidatos a áreas administrativas, controles de informação, técnicas, de pesquisa, ou análise de dados.

Principais características: gostam de planejar e conferir cuidadosamente o trabalho feito, usam abordagens sistemáticas e estruturadas para enfrentar desafios, preferem planos de ação bem definidos e claros.

Perfil Caliper

Para o psicólogo e diretor da Caliper Brasil, José Geraldo Recchia, conhecer e saber identificar os perfis é fundamental para uma boa produtividade e diminuição da rotatividade dentro das empresas: “A contratação de um profissional com um perfil inadequado à vaga pode gerar problemas de rendimento e, consequentemente, o desligamento do colaborador”, afirma Recchia.

Os indivíduos de um mesmo grupo não precisam necessariamente apresentar todas as características do perfil, porém, possuem traços de comportamento predominante que o encaixam em um grupo específico. Conhecer e saber identificar os perfis profissionais é fundamental para uma boa produtividade e diminuição da rotatividade dentro das empresas, já que a contratação de um profissional com um perfil inadequado à uma vaga pode gerar problemas de rendimento e até o desligamento do colaborador.

Pensando nisso, a Caliper desenvolveu um produto exclusivo: o Perfil Caliper.  O Perfil Caliper é a avaliação profunda de personalidade que viabiliza o job-matching entre candidato e vaga, levando em consideração os requisitos da vaga e as habilidades profissionais de indivíduo.  

Para saber mais sobre o Perfil Caliper e gestão de equipes, entre em contato com a nossa equipe.

10 livros que todo líder deve ler

Liderar uma equipe ou um projeto é tarefa que exige conhecimento e paciência. Lidar com pessoas pode ser o ponto mais complicado de ser chefe, mesmo para os mais experientes na área. Para te ajudar nessa missão, separamos dez livros que todo líder deve ler.

O Monge e o Executivo

Nesse livro, o autor James C. Hunter conta a história de um poderoso empresário norte-americano que abandona a carreira para se tornar um monge beneditino. Nessa trajetória inusitada, a personagem entra em contato com as verdadeiras virtudes necessárias para ser líder: responsabilidade, amor, dedicação e sacrifício. Em “O Monge e o Executivo”, são apresentados conceitos fundamentais para melhorar a capacidade de liderança e o convívio pessoal, por meio de uma narrativa envolvente e repleta de ensinamentos.

De zero a um

O autor desse livro é Peter Thiel, criador do PayPal, uma das maiores plataformas de pagamento online do mundo. Com a leitura, aprendemos que não existe uma fórmula para o sucesso e que ninguém pode definir ao certo o que é inovação, já que cada empresa e cada produto inova de uma maneira diferente. O livro apresenta uma visão otimista do futuro, do progresso e uma maneira original de pensar sobre inovação: ensina você a fazer perguntas que o levem a encontrar valor em lugares inesperados.

O sucesso tem fórmula?

Neste livro inspirador escrito pelo fundador da Caliper, Herb Greenberg e pelo vice-presidente executivo Patrick Sweeney, você encontra histórias envolventes de superação e motivação que te ajudam a criar a própria definição de sucesso. Assim, você será capaz de identificar suas próprias qualidades e pontos fortes, aplicando suas habilidades para fortalecer seu potencial e desenvolver sua própria fórmula de sucesso.

Mindfulness para uma vida melhor

Apesar de não ser sobre negócios ou gestão de pessoas, sem dúvidas é um dos livros que todo líder deve ler. “Mindfulness para uma vida melhor” traz ensinamentos sobre uma prática cada vez mais popular, principalmente entre as gerações mais novas: o relaxamento da mente em busca de uma maior qualidade de vida. O autor, Eduardo Farah, apresenta técnicas simples de meditação para aumentar o foco e reduzir o estresse e a ansiedade. Farah mostra como o conceito de mindfulness pode ser aplicado em diversas áreas da vida, como trabalho, relacionamentos, sexualidade, autoconhecimento e bem-estar.

Como fazer amigos e influenciar pessoas

“Como fazer amigos e influenciar pessoas” talvez seja o clássico mais conhecido que todo líder deve ler. Mesmo após 70 anos de sua primeira publicação, a obra de Dale Carnegie continua ajudando pessoas a alcançarem seus objetivos profissionais e pessoais. De maneira objetiva, o autor apresenta diversas técnicas e métodos diretos de como conquistar e manter boas relações interpessoais por meio da comunicação e do desenvolvimento da empatia e do autoconhecimento.

Liderança para um mundo melhor

O livro “Liderança para um mundo melhor” foi escrito por Dalai-Lama, a santidade budista tibetana.  A história narra o encontro entre duas realidades – a do budismo o e a do mercado globalizado do consultor administrativo Laurens van den Muyzenberg. Este livro surgiu quando Muyzenberg enviou uma carta para o Dalai-Lama pedindo que considerasse os ensinamentos milenares do budismo para aprimorar o capitalismo e atender às necessidades do mundo atual.

Primeiro os colaboradores, depois os clientes

Escrito em primeira pessoa pelo CEO da HCL Technologies, Vinnet Nayar, o livro “Primeiro os colaboradores, depois os clientes” conta a história de como uma empresa prestes a declarar falência conseguiu se reerguer depois de uma radical transformação na organização interna. A trajetória de Nayar mostra que uma empresa não pode esquecer de seus colaboradores e visar apenas lucro e crescimento. Hoje, a HCL conta com mais de 55 mil pessoas na equipe e uma receita de 2,5 bilhões de dólares.

Não tenha medo de ser chefe

Nesta obra, o autor Bruce Tulgan mostra aos leitores um outro olhar sobre os cargos de chefia: uma oportunidade valiosa de ser útil e contribuir para aumentar a produtividade de sua equipe. Com uma abordagem prática e positiva, ele destrói os mitos que rondam o gerenciamento, como por exemplo a ideia de que delegar poder é deixar as pessoas se virarem sozinhas, de que ser justo é tratar todo mundo da mesma maneira, de que evitar conversas difíceis é a melhor forma de não gerar confrontos com os funcionários e de que é preciso ser um líder nato para gerenciar.

Criatividade S.A.

Em “Criatividade S.A.” o autor Ed Catmull conta a trajetória de sucesso do mais importante e lucrativo estúdio de animação da atualidade: a Pixar, criadora de alguns dos maiores sucessos do cinema (Toy Story, Monstros S.A. e Procurando Nemo). Catmull mostra aos leitores como a cultura da criatividade é uma das bases para o sucesso de qualquer empresa, independente do ramo em que atua. Um livro para quem busca inspiração para inovar e ousar no dia a dia dos negócios.

O jeito Disney de encantar os clientes

Por trás de toda a magia dos parques e das telas de cinema, a Disney é uma empresa como qualquer outra. Porém, um de seus maiores diferenciais é, sem dúvida, a experiência única que ela proporciona às pessoas. O livro apresenta os fundamentos ainda atuais de seu criador, Walt Disney, para o sucesso pessoal e profissional. Livro essencial para nunca deixarmos de acreditar e perseguir nossos sonhos.

Para se destacar como líder e melhorar a gestão de pessoas da sua empresa, conheça os treinamentos e serviços de coaching da Caliper. Quer saber mais? Envie um e-mail para caliper@caliper.com.br  ou ligue: 41 3075-3400

5 contribuições dos millennials para o mercado de trabalho

millenials-no-mercado-de-trabalho

Quem está no mercado de trabalho há 15 anos sabe o quanto o espaço empresarial foi reconfigurado. As novas tecnologias são responsáveis por grande parte dessas mudanças, mas é preciso ressaltar o fator humano como potencial transformador das dinâmicas de trabalho. Nesta equação, seria impossível fazer uma leitura completa do mercado de trabalho atual sem falarmos dos millennials.

Também conhecidos como Geração Y, os millennials representam uma faixa demográfica da população. Diferentes estudiosos divergem quanto às datas exatas, mas estima-se que essa geração representa os nascidos entre a década de 80 e o começo dos anos 2000.

Até 2025, os millennials vão compor 70% da força de trabalho no mundo. Jennifer Deal, uma cientista do Centro de Liderança Criativa, de San Diego, nos Estados Unidos, e co-autora do livro What Millennials Want from Work (“O que os Millennials Querem do Trabalho”, em tradução livre) entrevistou 25 mil millennials de todo o mundo e chegou a conclusões incríveis sobre a contribuição dessa geração ao mercado.

Em primeiro lugar, devemos esquecer os estereótipos de preguiça e insubordinação que há muito pesa sobre essa geração. As contribuições dos millennials são muitas e os ambientes de trabalho só ganham quando incorporam essas mudanças de cultura. Quer saber como garantir uma empresa adequada às potencialidades desses novos colaboradores? Então, vamos lá!

  1. Flexibilidade no local de trabalho

Geração Y é a primeira a chegar no mercado depois do boom do corporativismo dos anos 70 aos anos 90, período em que o status social estava intrinsecamente ligado às posições de trabalho.

Nessa época, jovens do mercado de trabalho tendiam a focar 100% no sucesso profissional. Já os millennials buscam maior equilíbrio entre vida pessoal e trabalho.

Boa parte desse equilíbrio vem do desejo de maior flexibilidade nos turnos. O perfil dessa nova geração enxerga com muito mais praticidade e lógica a adequação do trabalho às suas vidas do que o contrário.

2. Suporte adequado e feedback

Millennials gostam de liberdade e de autonomia. A maioria dos empregos cujas funções são muito engessadas e exigem pouco do fôlego da criatividade costuma ser pouco atraente para essa geração.

Mas a partir do momento em que eles aceitam fazer parte da sua corporação são exigentes quanto às condições que viabilizam o trabalho. Portanto, suporte adequado é essencial para a retenção de talentos.

O ambiente empresarial mudou inclusive nos aspectos físicos. Espaços descontraídos, mais amplos e sem divisórias têm se tornado cada vez mais comuns em diferentes nichos de atuação. Essa é mais uma contribuição dessa geração, que vê esses espaços como suporte para o bom desempenho do trabalho.

O feedback é outro ponto que precisa ser priorizado. Segundo pesquisa realizada em 2016 pela Clutch HR, 72% dos millennials que recebem feedbacks consistentes e precisos de seus gerentes encontram satisfação no local de trabalho. Apenas 38% dos trabalhadores que não recebem feedback se sentem satisfeitos.

Neste ponto, é preciso fazer a reflexão: como está a cultura de feedback na sua empresa?

3. Coaching, não microgerenciamento

Em gestão de negócios, microgerência é o estilo de gestão em que o gerente observa ou controla de perto o trabalho de seus colaboradores. A microgerência geralmente possui uma conotação negativa e os millennials se sentem bastante desconfortáveis em situações assim.

Aqui voltamos à autonomia. Pensar maneiras múltiplas de preparar o profissional antes da tarefa é a melhor forma de cativar a produtividade de um millennial. Por isso, as técnicas de coaching aqui se fazem muito mais eficazes que o microgerenciamento.

Ser autêntico, empático e minucioso na hora de treiná-los e orientá-los para a execução de suas tarefas, seguindo o perfil de técnicas de coaching, é a maneira mais motivadora de desenvolver suas potencialidades.

Essa contribuição é essencial para o desenvolvimento da corporação. Mais uma ótima adição dos millennials ao nosso mercado!

4. Propósito e contribuição para a sociedade

Crescer em meio a tanta informação resultou em indivíduos com visões de mundo ampliadas. A internet os acompanhou durante grande parte do desenvolvimento, dando voz a setores marginalizados e aproximando realidades múltiplas.

Esse processo criou adultos muito mais preocupados em agir e fazer a diferença do que seguir o fluxo e se conformar. Dessa forma, estamos diante de indivíduos que valorizam muito o propósito social das empresas.

Quer motivar e tornar os seus colaboradores mais confiantes? Envolva a empresa em trabalhos com ONGs e atividades de caridade. Questões ambientais também saltam aos olhos dessa geração.

5. Cultura colaborativa

Existe uma leitura consideravelmente equivocada sobre a Geração Y: como cresceram tão próximos das interações virtuais, os millennials pecam em trabalhar em equipe no ambiente de trabalho.

Isso é uma falácia! Oportunizar um ambiente colaborativo é fundamental para o alcance de bons resultados, sendo considerada “palavra de ordem” para o futuro das empresas. E o perfil dos millennials tem tudo a ver com isso!

Os millennials valorizam uma comunicação transparente entre os colaboradores e líderes. Neste nível de transparência, eles se sentem mais à vontade para induzir o desenvolvimento de suas potencialidades. Dessa forma dialógica e com o foco nos pontos fortes de cada um, é imprescindível a construção de uma equipe colaborativa, na qual cada um tem uma parte no todo.

Ao contrário do estereótipo, os millennials são sociáveis e consideram importante um ambiente de trabalho participativo e divertido.

Conclusão

Agora que você já sabe como identificar as transformações geracionais que impactaram o mercado de trabalho, é preciso lembrar que não devemos rotular nada nem ninguém.

Não se trata de uma disputa geracional entre X e Y. Independente da geração, cada indivíduo merece ser avaliado de forma individual e específica, levando em conta a subjetividade de cada um. Só assim você conseguirá extrair o melhor da sua equipe.

É por isso que a Caliper oferece o serviço completo de perfil comportamental para avaliação estratégica de pessoas. O Perfil Caliper é um instrumento científico que viabiliza uma avaliação profunda de personalidade e permite o job-matching – “casamento” do potencial de um profissional com os requisitos para determinado cargo.

Clique e conheça o Perfil Caliper!

Como construir relações profissionais em ambientes predominantemente masculinos

mulher e homem conversando, com notebook e celular em cima da mesa.

Mesmo com a crescente entrada de mulheres em posições de gerência no mercado no trabalho, muitas profissionais ainda se sentem excluídas no ambiente profissional, principalmente no meio executivo, em que a maioria dos colegas de profissão são homens. Uma pesquisa realizada pelo Learnlight Insight mostra que 81% das mulheres já se sentiram excluídas de alguma forma no trabalho.

A inclusão de mulheres é gradativa e mostra que cada vez mais empresas estão preocupadas com políticas de equidade: dados do Grant Thornton mostram que, nos países da América Latina, 65% das empresas possuem pelo menos uma mulher em cargo de chefia.  No Brasil, esse número cai para 61%, tendo apenas 29% das funções seniores desempenhadas por mulheres.

Com um número ainda pequeno de colegas do mesmo sexo, mulheres em postos executivos frequentemente se deparam com dificuldades para interagir com outros profissionais. Enquanto os homens se reúnem para o happy hour, as mulheres geralmente evitam eventos opcionais depois do expediente, ou por escolherem voltar para casa e passar um tempo com a família (muitas vezes, para dar início às atividades domésticas como cozinhar, limpar e ajudar as crianças com trabalhos da escola), ou então porque nem são convidadas. A dificuldade de socialização também pode partir dos homens, que muitas vezes preferem não interagir com colegas mulheres por medo de serem mal interpretados.

A falta de relações profissionais no ambiente de trabalho tem diversas consequências, como exclusão social, perda de oportunidades e maior dificuldade em crescer na carreira. Mas como quebrar essas barreiras e construir um bom networking? Separamos algumas maneiras de socializar e garantir boas relações em níveis profissionais:

Encontre espaços informais na empresa

Você não precisa abdicar do tempo com a família para socializar com colegas de trabalho. Essas relações podem começar com uma simples conversa informal na sala do café ou no refeitório, por exemplo. Mesmo que você não se encaixe em nenhum grupo, é importante saber como as pessoas interagem. Conhecendo os costumes, fica mais fácil decidir como e com quem se relacionar.

Participe de eventos sociais, mesmo que ocasionalmente

Apesar do happy hour ou um almoço entre colegas parecer um tempo perdido, são geralmente nessas reuniões informais que os profissionais ficam sabendo de oportunidades dentro da empresa e futuros negócios. A participação nesses encontros, mesmo que de vez em quando, é importante não somente para a socialização, mas para “ver e ser vista”. A informação informal tem uma grande importância em meios corporativos.

Tenha iniciativa

Não fique esperando ser convidada para algum evento, convide você mesma. E não precisa convidar o departamento inteiro para almoçar: comece comentando que está indo tomar um café e aproveite para perguntar se alguém gostaria de ir junto. Aos poucos, as oportunidades vão surgindo, e na próxima, as pessoas irão se lembrar que você foi educada em convidar.

Entre em contato e otimize suas relações profissionais: caliper@caliper.com.br | (41) 3075-3400.