Personalidade: Muito de uma coisa boa

Compartilhar
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Quer se trate de doces quando criança ou bebidas alcoólicas quando adultos, continuamente aprendemos uma lição valiosa sobre os perigos dos excessos. Tudo com moderação, certo?

Da mesma forma, ao olhar para o talento através das lentes da personalidade, percebemos que você pode ter muito de uma coisa boa. A capacidade de compreender conceitos complexos e agir rapidamente pode parecer qualidades universalmente positivas, mas pode haver efeitos negativos quando a autoavaliação de alguém mostra um comportamento no limite superior.

Não operamos em bolhas, a maneira que uma pessoa se articula com a cultura da empresa e outras personalidades do grupo importam. Sem os atributos interpessoais necessários para o equilíbrio, o impulso do ego e o foco no prazo podem se manifestar como intensidade ou insistência. Se indivíduos altamente analíticos não conseguem se relacionar com as pessoas ou compartilhar conhecimento de uma maneira que possa ser compreendida, eles podem alienar seu público.

Ao considerar o que torna alguém adequado para uma função específica, é fácil ter uma visão bidimensional da personalidade, mesmo quando usamos uma ferramenta sofisticada de avaliação de personalidade como o Perfil Caliper. Na verdade, as pontuações percentuais que você vê em um perfil, quando manifestadas no mundo do trabalho, podem representar ativos e passivos.

Diga o seguinte em voz alta, em sua melhor voz de Tarzan, para perceber como isso soa simplista:

Pontuação baixa – ruim

Pontuações altas – bom

Vamos pensar em termos de Star Wars. Tanto os Jedi quanto os Sith podem usar a “Força”. Este campo de energia, criado por todas as coisas vivas, deve ser aproveitado para que possamos acessar seu poder. Mais importante ainda, a Força pode ser usada para fins malévolos ou benevolentes; depende do contexto de treinamento, visão de mundo, educação e experiências de uma pessoa.

Assim como os Jedi tentam “trazer equilíbrio à Força”, sua empresa deve buscar criar um ambiente de trabalho harmonioso com personalidades que se complementem, em vez de se repelir. Se você selecionar apenas os tipos de alta cobrança e vitória a qualquer custo, como isso funcionaria em seu mercado?

Sim, temos a capacidade de fazer uma conexão entre os melhores desempenhos de uma empresa e um determinado conjunto de comportamentos nos quais eles se envolvem. No entanto, a armadilha aqui é buscar uma constelação “ideal” de pontuações.

Na era do Big Data, podemos ir além das análises de alto/baixo, pois elas olham apenas para uma parte da informação disponível sobre uma pessoa. Além disso, existem outros modelos que apresentam maior validade preditiva.

E é ainda mais importante observar que testar os melhores e os piores desempenhos, e confiar apenas nas diferenças, nos deixa aquém se não analisarmos outros fatores.

Ao comprar ações, você não olharia apenas para um indicador. Se você considerar apenas o desempenho recente e operar com base no princípio de que quanto mais alto o preço, maior a compra, você pode estar entrando em um mundo de dor. No momento em que você compra, o estoque pode ter atingido o pico ou a concorrência surgiu.

O mesmo princípio se aplica ao avaliar o talento: olhar apenas para um fator fornece uma mera fração das informações de que você precisa para tomar uma decisão inteligente. Amplie a sua visão!

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Comentários

Sobre a Caliper

A Caliper Estratégias Humanas é uma empresa americana com sede em Princeton, New Jersey, que há mais de 55 anos avalia o potencial de colaboradores e orienta quanto à contratação, gestão e desenvolvimento de equipes das mais diversas empresas em todo o mundo.

Posts Recentes

Facebook Caliper

Shopping Basket