Quando demitir pode significar incentivo?

Voltar para a listagem
Publicado em: 26/07/2013 09:53:00

A demissão é um dilema vivido pelas empresas. Um processo difícil, porém inevitável. E o maior problema está no receio da reação de quem será demitido afinal, esta não é uma boa notícia a ser recebida por ninguém. Entretanto, é preciso que as empresas estejam preparadas para este tipo de situação, que se preocupem com o futuro destes profissionais e, principalmente, mostrem essa preocupação.

Atualmente, as empresas exigem inúmeros atributos profissionais para ocuparem suas vagas, mas a contrapartida em benefícios para seus funcionários também deve ser real, indo desde sua participação nos lucros da empresa até o auxílio pela procura de um novo emprego fora dela.

Dentre as diversas motivações que levam à demissão, as principais são: a incompatibilidade de uma pessoa à função para a qual foi contratada e a contenção de despesas. O primeiro motivo pode ser contornado quando o profissional, após ter seu potencial avaliado, demonstrar habilidade e afinidade por outra área dentro da mesma empresa. Já o último motivo é quase sempre irreparável, pois a contenção de gastos geralmente é justificada e amparada pela falta de resultados e lucros gerados pelo profissional à empresa e, aí, dispensar o colaborador pode ser compreensível.

Porém, antes que qualquer destes fatores provoque a saída do funcionário da organização, a empresa deve se preparar para comunicá-lo e também prepará-lo para receber a notícia. Caso contrário, o desespero pode tomar conta do profissional e fazer com que sua primeira reação seja bastante negativa, principalmente, em relação à empresa. Esta pode ser considerada o carrasco da história, tendo sua imagem abalada junto a outros profissionais do mercado, em decorrência de uma falha no processo de demissão.

Para contornar toda esta problemática, a empresa pode colocar algumas ações em prática:

  1. Logo no início de uma contratação, a empresa deve fazer o diagnóstico, através de uma avaliação minuciosa do potencial de seus funcionários, com objetivo de conhecer o que os motiva, que atividades serão mais atrativas para eles e que habilidades eles podem utilizar e ser estimulados a isso em sua função

  2. Outra ação importante seria criar um plano voltado para a recolocação do profissional dentro da própria empresa, pois dependendo da função para a qual ele é contratado, mesmo sendo habilitado, é possível que haja alguma outra área que lhe chame mais atenção e na qual transite bem. Além disso, promover este processo é importantíssimo para a garantia de que a empresa não estará deixando pra trás talentos que já fazem parte de seu capital humano

  3. Outra ação a ser tomada, para casos em que a demissão é inevitável, seria a formatação de um programa de preparação do profissional para o mercado de trabalho e o auxílio de sua recolocação em outras empresas. Algumas organizações podem achar esta medida estranha, mas por que não? Estar em outra cultura organizacional, pode ser o que um profissional espera e precisa para se destacar. Dar a ele esta oportunidade significa ganhos para organização, que mantém sua credibilidade junto ao profissional e, ainda, pode ganhar o marketing de empresa socialmente responsável, pois realiza ações de responsabilidade em seu próprio espaço, valorizando e apoiando seus colaboradores e deixando de contribuir ainda mais com a crise brasileira de desemprego.

Todo este processo deve ser aberto na empresa, todo colaborador deve saber que ela possui e oferece estes mecanismos e, assim, sentir-se satisfeito, amparado e, ao mesmo tempo, leal para com ela, sabendo que se necessitar de seu trabalho de apoio profissional, o terá. O profissional também saberá que, trabalhando dentro de uma empresa que da mesma forma que sabe contratar, também sabe demitir, terá sempre a chance de se desenvolver. E, por ventura, se precisar procurar por uma nova colocação, terá a oportunidade de refletir sobre sua função e formação profissional, entenderá que talvez seja tempo de investir em seus conhecimentos e poderá chegar à conclusão de que ser demitido, muitas vezes, pode significar uma nova oportunidade de crescimento.

Criar uma empresa com ambiente saudável e sustentável é simplesmente isto: promover a qualidade de vida e de trabalho de seus colaboradores, no ingresso deles à organização, ou mesmo em um possível processo de destituição.

Voltar para a listagem