Geração Y

Voltar para a listagem
Publicado em: 27/08/2013 09:21:00

Por Alessandra de Santos Moura

Como as empresas podem lidar com este novo perfil de profissional que está focado em construir uma carreira de forma independente e quer maior agilidade? Como reter esse profissional competente que pode ser o líder ideal no futuro?

Nascidos na década de 1980 a 1990, a conhecida Geração Y tem características marcantes em seu estilo profissional. São independentes e gostam de trabalhar em organizações nas quais possam atuar com maior nível de autonomia. Empreendedores e motivados por desafios, parecem preferir atuar com projetos que fujam da rotina e denotem a oportunidade de aprender novos conceitos. Bem-informados e com sólida formação escolar, estão sempre atualizados e se adaptam rapidamente à velocidade da informação por meio da tecnologia. Desejam, também, resultados quase imediatos e, com isso, imprimem um ritmo acelerado ao seu trabalho, o que desafia, muitas vezes, aqueles que não conseguem acompanhar esta urgência, o que nos indica a busca de objetivos e realização.

Essa nova geração apresenta predisposição para assumir riscos na tomada de decisões, não somente pela postura segura, como pelo anseio em obter resultados em um prazo mais curto. Assertivos e diretos na comunicação, a Geração Y é capaz de questionar regras e processos aos seus chefes imediatos, participa de maneira mais ativa nas reuniões e discussões de projetos e parece gostar de fazer parte da composição da solução de um problema. São participativos e preferem ambientes onde exista maior flexibilidade nos horários de trabalho, assim como a possibilidade de variação na remuneração, plano de carreira definido e possibilidade de promoções rápidas, pelas quais possam obter um ganho maior.

Por outro lado, são profissionais ansiosos, não parecem motivados por atividades muito minuciosas e podem se sentir mais impacientes ao atuar com projetos ou atividades que demandem um período de tempo maior. São ambiciosos e tendem a aceitar uma nova proposta de trabalho ou desafio profissional de maneira mais ousada. Esta é a geração Young, geração jovem, que vem crescendo nas organizações e ocupando espaço, cada vez mais assumindo cargos de destaque nas empresas. Será este o perfil do líder do futuro?

Líderes da Geração X, ou seja, profissionais nascidos na década de 1970, têm a atual missão de formar sucessores, identificar talentos, reter profissionais de alta performance, além de liderar um time de profissionais da Geração Y que desafia seu estilo tradicional de gestão.

Para isso, uma das estratégias indicadas na gestão de pessoas é reconhecer o potencial de líderes futuros, apoiá-los no planejamento de treinamentos para o desenvolvimento de seus potenciais, deixando que se responsabilizem por suas carreiras e assumam novos desafios. Entretanto, é importante que os líderes atuais vençam alguns paradigmas, evitando julgar atitudes de profissionais da Geração Y, como a atuação de profissionais que demonstrem seus diferentes pontos de vista em organizações que não estimulem ou encorajem novas ideias.

Pode ser difícil para líderes em potencial serem reconhecidos e promovidos em ambientes organizacionais mais tradicionais. Segundo pesquisa da Caliper, realizada em 2007 e denominada "Perfil do Líder Brasileiro", existe uma tendência natural dos líderes e executivos adotarem uma postura persuasiva e convincente, além da assertividade na comunicação, autoconfiança para lidar com trabalhos sob pressão e agilidade na busca de soluções e resultados.

Este estilo autoconfiante talvez possa causar incômodo e desconforto perante outras pessoas da organização, especialmente quando iniciam carreira em uma companhia. No entanto, uma vez que um alto potencial é identificado, seja para atuar em cargos de liderança ou posições estratégicas para o negócio, cabe à empresa e aos líderes da Geração X focar o desenvolvimento de carreira desses profissionais, colocando-os em posições que possam maximizar seus potenciais, envolvendo-os em projetos que atendam a seus motivadores, nos quais possam atuar com autonomia, criatividade, velocidade e ousadia.

Liderar a Geração Y e identificar nesse time os líderes do futuro deve ser uma das metas e cuidados mais importantes que uma organização deve ter, pois esses colaboradores têm as características que formarão as competências que as organizações necessitarão no futuro. Portanto, agora é o momento de se preparar para essa nova Geração que já existe e pede espaço para mostrar seu potencial!
* Alessandra dos Santos Moura é Diretora de Desenvolvimento Organizacional da Caliper

Voltar para a listagem